Trabalho em prisões e instituições

Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.

—2 Coríntios 3:17

Mary Baker Eddy, ao longo de sua vida, deu seu apoio e promoveu o trabalho em instituições correcionais. Seu interesse em ajudar os detentos começou por meio do relacionamento que tinha com a família Pilsbury, pessoas bastante conhecidas por seus métodos humanitários e inovadores de correção, nas prisões. O Capitão Moses Pilsbury, amigo da família Baker, era diretor da prisão estadual em Concord, New Hampishire, Estados Unidos (1818–1826 e 1837–1840). O relacionamento dela com os Pilsbury se aprofundou por meio de seu irmão George, que trabalhou para o Capitão Amos Pilsbury, na prisão de Wethersfield, em Connecticut, e também porque sua irmã Martha se casou com Luther Pilsbury, vice-diretor da prisão estadual de New Hampshire.

Em 12 de maio de 1900, em nota para um dos seus alunos, depois que ele iniciou cultos da Ciência Cristã na cadeia municipal de Merrimac, Mary Baker Eddy escreveu: “Alegra-me que você tenha dado início à missão da Ciência Cristã na certeza de poder abrir as portas da prisão e libertar os cativos. Deus nos abençoará nesse caminho designado por Ele...” (Tomlinson, Twelve Years with Mary Baker Eddy, p. 186).

Os trabalhos nas prisões continuaram a ser importantes na vida dos membros da igreja dela. Nos cultos da Igreja, nas quartas-feiras, era comum ela ler testemunhos de obreiros e dos detentos que eles ajudavam, e ela também os publicava nos seus periódicos — The Christian Science Journal e Christian Science Sentinel. Há relatos similares na vida dela e nas obras que escreveu, como quando curou um homem louco que escapara do manicômio (1868), e também quando visitou na prisão o assassino do Presidente Garfield em Washington, D.C. (1882), e publicou relatos de cura e reforma moral alcançadas por meio da leitura do livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras (ver Miscellaneous Writings 1883–1896 [Escritos Diversos 1883–1896], pp.405-406).

Dando prosseguimento a esse empenho de compaixão para com os encarcerados, as igrejas filiais da Ciência Cristã ao redor do mundo mantêm trabalhos nas instituições por meio de capelães voluntários. Embora o termo capelão seja usado para cargos eclesiásticos, várias instituições contam com pessoas leigas para atender às necessidades espirituais de detentos, pacientes ou residentes de instituições. Às vezes os capelães voluntários são supervisionados por um capelão profissional, diplomado em seminário.

Para trabalharem em instituições, os Cientistas Cristãos geralmente recebem uma carta de sua igreja filial ou do Comitê Institucional Estadual, atestando sua designação. Algumas instituições requerem também que os voluntários sejam treinados pelo capelão profissional da instituição. Para informações a respeito dos requisitos específicos para obreiros voluntários de cada instituição, as pessoas interessadas e as igrejas filiais devem contactar cada instituição.

Mais informações

Suas perguntas podem ser respondidas pelo contato do Comitê de Instituições instliaison@christianscience.com.

Abaixo está uma carta de apresentação que pode ser adaptada de acordo com os requisitos da instituição envolvida.

Data:

Atenção: (Capelão da Instituição)

Endereço:

Prezado Sr., / Prezada Sra.,

Certificamos por meio desta que (nome do Voluntário Cientista Cristão), foi designado (Capelão/ Voluntário) na (nome da Instituição). (Nome do Capelão da Ciência Cristã/Voluntário) é membro da (Igreja ou Sociedade da Ciência Cristã) há ( ) anos. Ele/Ela foi entrevistado e suas qualificações para esse importante trabalho foram avaliadas pela (diretoria da Igreja/Sociedade ou Comitê institucional) para servir na (nome da Instituição). (Nome do Capelão/Voluntário) é vinculado às diretrizes da (Igreja/Sociedade ou Comitê Institucional) que foram aprovadas pela Diretoria da (Igreja/Sociedade e localização).

Sujeito ao treinamento exigido e aos regulamentos da (Instituição) — (nome do Capelão/servidor) tem a aprovação da (Igreja/Sociedade e diretoria), para executar, como voluntário, as seguintes funções:

  • Estabelecer contato com pessoas que sejam Cientistas Cristãs ou que solicitem cultos da Igreja da Ciência Cristã.
  • Dar apoio por meio da oração para ajudar indivíduos a tratar problemas morais, espirituais ou físicos. (Nota: Isso se aplica aos capelães que atuam como praticistas da Ciência Cristã).
  • Realizar cultos da Ciência Cristã sempre que necessário.
  • Distribuir literatura da Ciência Cristã para os que desejarem.

(Ele/Ela) foi instruído a se reportar ao seu escritório de capelão quanto a todas as atividades religiosas. Somos gratos por toda cortesia e assistência prestada a ele/ela, tais como acesso às listas de pessoas que declararam ter a Ciência Cristã como sua preferência religiosa. Sintam-se à vontade para entrar em contato com (ele/ela) a qualquer momento em que alguém requeira a assistência religiosa de um Cientista Cristão. Os dados para contato (dele/dela) são: (Número de telefone e e-mail). Conte conosco para dar apoio ao seu programa religioso, e para  ajudar no que for possível.

Cordialmente,

(Secretário da/ou Presidente da Diretoria da Igreja/Sociedade ou Comitê Institucional)
(Nome da Igreja/Sociedade ou Comitê Institucional)
(Endereço da Igreja/Sociedade ou Comitê Institucional)